Laudo descarta que bebê de 1 ano e 8 meses morta por afogamento foi abusada sexualmente

A Polícia Civil confirmou que um laudo de necropsia da bebê de 1 ano e 8 meses que morreu depois de ter se afogado em uma espécie de poço no último domingo (12), em Confresa (a 1.157 km de Cuiabá), demonstra que ela não foi abusada sexualmente. Foi apontado que a criança estava com uma forte disenteria.

Segundo informações, a menina caiu em uma espécie de buraco que continha água e ficava somente a alguns metros da casa.

De acordo com o boletim de ocorrência, a equipe da Polícia Militar foi acionada pela equipe médica por volta das 15h50 e informada pela equipe médica do hospital que uma paciente havia dado entrada na unidade vítima de um afogamento.

A equipe médica realizou os procedimentos e conseguiu reanimar a criança, porém, horas depois, a vítima acabou morrendo.

Com isso, o Conselho Tutelar e a Polícia Civil foram acionados para investigar o caso. Os pais e o tio da criança foram encaminhados para a delegacia e ouvidos pelo delegado plantonista.

Os pais relataram que haviam ingerido bebida alcoólica e foram autuados em flagrante delito pelo crime de homicídio culposo e encaminhados para a audiência de custódia.

Durante a audiência, os pais foram liberados. Já o tio assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por omissão de socorro.

 

PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E FIQUE BEM-INFORMADO (NOTÍCIAS, VAGA DE EMPREGO, UTILIDADE PÚBLICA) – CLIQUE

CURTA NOSSA FANPAGE NO FACEBOOK – CLIQUE AQUI

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

FONTEAmanda Divina/Hiper Noticias
Artigo anteriorPerícia confirma que Bruno Araújo e Dom Phillips foram mortos a tiros com munição de caça
Próximo artigoSecretaria alerta contra raiva humana após morte de cachorro com a doença em MT