Em MT: PF e Exército deflagram operações para combater o garimpo ilegal em terra indígena

(Foto: PFMT)

A Polícia Federal deflagrou neste sábado (16) a Operação Alfeu VI, que visa dar cumprimento à decisão judicial que determina a desocupação de área atingida por garimpeiros, bem como apreensão de maquinários e utensílios que são utilizados na atividade de garimpagem ilegal.

Concomitantemente, o Exército Brasileiro, em continuidade aos trabalhos planejados para serem realizados na Operação Ágata, irá atuar em conjunto com a Polícia Federal, Funai e Força Nacional na Terra Indígena Sararé, localizada entre os municípios de Conquista D’Oeste, Nova Lacerda, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade.

O objetivo principal da ação conjunta é a otimização da utilização dos escassos recursos públicos direcionados para alcance dos melhores resultados possíveis e consequentemente retorno da paz social na região.

Assim, incialmente serão realizadas buscas por instrumentos e maquinários utilizados pelos criminosos.

Caso sejam encontradas máquinas em boas condições e que sejam passíveis de serem retiradas do meio da mata, serão apreendidas e destinadas às prefeituras dos municípios vizinhos à área degradada.

No segundo momento será realizada a destruição, bem como a inutilização de bens sem valor monetário expressivo ou de difícil/impossível remoção que forem encontrados em toda a extensão da Terra Indígena Sararé.

Após o encerramento das atividades em campo, as investigações terão continuidade para identificar os financiadores dessa atividade ilegal e descapitalizar de toda organização criminosa que, ao usurpar de ouro de origem ilegal, financiam diretamente a degradação do meio ambiente, dizimam a população indígena na região e poluem os rios que abastecem os Municípios, gerando consequentemente um enorme dano social, além do desequilíbrio no mercado financeiro.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Artigo anteriorPolicial militar mata seis familiares e outras duas pessoas no oeste do Paraná e depois se mata, diz PM
Próximo artigoSindicatos rurais repudiam apoio de Geller e Fávaro ao PT